6 lições para aprender com o primeiro financiamento (e aplicar no segundo)

Equipe BDMGEquipe BDMG - 6 de Fevereiro de 2019.

Manter uma micro ou pequena empresa saudável financeiramente é um dos grandes desafios que todo empreendedor enfrenta durante sua jornada e, muitas vezes, recorrer a um financiamento se torna uma boa solução para permanecer com o caixa no azul. No entanto, sem um planejamento adequado, muitos empresários podem transformar esse primeiro financiamento numa experiência negativa e, até mesmo, frustrante.

Nesse momento, é preciso ter cautela e utilizar o crédito com consciência para que não se converta em um problema para a sua empresa e prejudique a sua saúde financeira. Se bem planejado, o crédito se torna uma dívida boa, pois poderá ser aplicado em operações que contribuirão para o desenvolvimento da sua empresa.

Se você já realizou algum financiamento ao longo da sua caminhada como empreendedor, saiba que existem algumas lições que você pode aprender com o primeiro financiamento para aplicar quando for solicitar crédito para sua empresa uma segunda vez.

De acordo com o indicador econômico 2018 da Serasa Experian, que mensura a demanda de crédito por parte das micro e pequenas empresas, houve um aumento de 11,1% na busca por financiamento empresarial no mês de outubro, em comparação ao mês anterior.

Mas esse não é o único dado interessante. De acordo com a pesquisa "Perspectivas Empresariais para 2019", produzida pela Boa Vista SCPC, cerca de 46% das micro e pequenas empresas afirmaram que irão utilizar o crédito para realizar novos investimentos em seu negócio. E 45% das grandes empresas usarão para alavancar seu capital de giro.

Com isso, apesar de existir um certo cuidado na procura por crédito no mercado, muitos empreendedores possuem uma percepção positiva e estão cada vez mais conscientes de que o crédito precisa ser bem planejado e aplicado com um propósito claro para o crescimento da empresa.

Depois da primeira vez, a principal diferença ao recorrer a um segundo financiamento é que, além de você estar mais consciente financeiramente, sua empresa estará preparada e terá mais chances de conseguir a aprovação do crédito, uma vez que será realizada uma análise do histórico de pagamento e das finanças do seu empreendimento.

Sendo assim, veja algumas lições que você pode colocar em prática na busca por um segundo financiamento:

6 lições para aplicar no segundo financiamento (que também funcionam para o primeiro) 

#1 | Examine o histórico de pagamento da sua empresa

A primeira lição diz respeito à análise constante do histórico de pagamento da sua empresa.

Normalmente, as instituições financeiras realizam esse diagnóstico para examinar qual o risco de conceder dinheiro a determinada empresa. Essa etapa funciona como uma espécie de funil, definindo os negócios que apresentam maior e menor risco de inadimplência.

É importante lembrar que boa parte do sucesso de um negócio depende da sua capacidade, como empreendedor, de gerenciar a situação das finanças da sua empresa e verificar o andamento das operações.

Logo, ao analisar como a sua empresa se comporta em relação aos compromissos financeiros que surgem no dia a dia, é possível identificar se existe atraso em algum pagamento e detectar o motivo para solucioná-lo rapidamente.

Tentar esconder problemas passados não é o melhor caminho, visto que esse histórico pode impactar diretamente na aprovação do seu financiamento.

Portanto, é fundamental anotar esse aprendizado: coloque as contas em dia e examine seu histórico de pagamento frequentemente.

Dica BDMG: Para auxiliar você na análise da situação financeira da sua empresa, existem ferramentas e indicadores, como o Score Empreendedor da Serasa Experian, que proporciona uma avaliação das finanças com recomendações para suas negociações, direcionando ações que melhorem a saúde do negócio.

#2 | Mantenha um bom relacionamento com sua instituição financeira

Além de buscar um banco com as menores taxas do mercado para investir na sua empresa, é essencial que você construa um vínculo duradouro com ele para beneficiar o crescimento do seu negócio.

Mas o que isso significa de verdade? Da mesma forma que é importante se relacionar bem com seus clientes, também é imprescindível manter uma boa convivência com seus parceiros — dentre eles, os bancos. Assim, sua empresa tem não somente um parceiro que realiza cobranças de pagamentos ou oferece constantemente seus produtos/serviços, mas que realiza um acompanhamento real do seu histórico financeiro.

Além disso, dependendo do tempo e do perfil de relacionamento com sua instituição financeira, é possível obter taxas mais vantajosas para seus investimentos baseado na necessidade da sua empresa. Por esse motivo, manter uma boa relação com seu banco é fundamental para a saúde financeira da sua empresa.

Neste link, você também pode receber orientação exclusiva sobre educação financeira e empreendedorismo, com diversos conteúdos do BDMG Orienta, que auxiliam no desenvolvimento da sua empresa.

#3 | Evite decisões precipitadas

A terceira lição ao procurar um segundo financiamento é: evitar decisões precipitadas.

Grande parte dos micro e pequenos empresários buscam financiamentos sem calcular e simular adequadamente todos os custos envolvidos nessa operação — e essa falta de planejamento é um dos principais fatores para a mortalidade dos pequenos negócios, segundo pesquisa realizada pelo SEBRAE.

Com isso, o que deveria ser uma etapa de solução de problemas, se torna uma “bola de neve” de dívidas. É importante que você faça uma projeção de todos os cenários e riscos possíveis, bem como, realize uma análise prévia da situação da sua empresa para evitar decisões precipitadas.

Assim, além de não prejudicar o orçamento e a saúde financeira do seu negócio, é possível identificar onde seus recursos estão sendo gastos e direcioná-los para atividades que oferecem maior retorno a longo prazo.

E isso nos leva à próxima lição.

#4 | Determine o propósito do crédito

Nesse momento, você deve responder a seguinte pergunta: como o crédito que você está prestes a pedir poderá beneficiar sua empresa?

Em meio a tantas obrigações financeiras, é comum ficar indeciso e não saber determinar qual será o propósito e a utilidade do crédito dentro da empresa, por isso, para lhe ajudar, elaboramos uma lista bem completa com tudo o que você pode fazer com esse tipo de financiamento empresarial:

  1. Acabar com as dívidas no cartão e cheque especial;

  2. Pagar encargos específicos (como o 13º salário dos colaboradores);

  3. Renovar e ampliar o estoque;

  4. Comprar ou atualizar os equipamentos;

  5. Quitar as multas;

  6. Cumprir os acertos trabalhistas;

  7. Realizar reformas ou melhorias de estrutura;

  8. Ter caixa para vender a prazo aos clientes;

  9. Abrir uma nova unidade;

  10. Comprar matéria-prima.

Se você quer entender mais profundamente cada um desses itens, acesse nosso conteúdo exclusivo e saiba como o crédito pode beneficiar sua empresa.

#5 | Avalie as condições e crie um planejamento para o pagamento

Após considerar o valor de financiamento que sua empresa precisa, planeje como você fará para pagá-lo, definindo quanto capital do seu orçamento você poderá destinar para as parcelas e em quanto tempo pretende quitá-lo.

Nessa etapa, além de verificar os juros e o custo total, você precisa analisar o valor da parcela. Resista à tentação de captar um recurso se sua empresa não tiver condições de realizar o pagamento mensal.

Se as parcelas forem grandes demais para o seu planejamento, elas podem se tornar uma dívida ruim. Para que isso não aconteça, tente negociar um prazo maior ou busque outras alternativas viáveis de crédito para capital de giro — o importante é não deixar de investir na evolução do seu negócio.

#6 | Providencie a documentação necessária

Ao realizar um pedido de financiamento, você deve preencher todas as informações corretamente e manter seus documentos organizados, pois a falta de um documento pode comprometer todo o processo com a instituição financeira e alongar, ainda mais, a busca pelo crédito ideal.

É importante lembrar que os bancos levam em consideração tudo o que você fornece na hora de avaliar o perfil de crédito da sua empresa.

Assim, para aumentar suas chances, é fundamental que você providencie a documentação completa solicitada pela instituição, principalmente os documentos que comprovam a situação financeira da sua empresa (como extratos ou demonstrativo da declaração do imposto de renda), e aqueles que comprovam que seu empreendimento cumpre com todas as obrigações fiscais e trabalhistas, as chamadas CNDs – Certidões Negativas de Débitos.

Com tudo em mãos, você evita uma série de erros, problemas e contratempos na sua busca por um financiamento. Organização é sempre muito importante, por isso, lembre-se dessa lição.

A partir do momento em que você colocar em prática esses aprendizados, sua busca por um segundo financiamento se tornará mais tranquila. Basta se planejar e preparar sua empresa.

Para ajudar você a escolher a condição ideal de financiamento para o seu negócio, o BDMG disponibiliza aos empreendedores mineiros uma ferramenta que permite a Simulação de seu Financiamento, para que planejem com cuidado e conheçam as condições financeiras antes, ajudando na tomada de decisão segura.

Nela, você escolhe o valor pretendido e, também, a melhor opção de parcelamento, que cabe no orçamento do seu negócio.

Somente após esse passo você poderá criar a proposta de financiamento e fazer o preenchimento dos dados, de forma online e sem burocracia. Com o crédito aprovado, bastará enviar as documentações necessárias ao BDMG para que, em até cinco dias úteis, você receba o dinheiro na conta corrente da sua empresa.

Tudo simples e rápido. Então basta começar!

Descubra o financiamento BDMG certo para sua empresa crescer.

bdmg-pronampe-cadastro-2021

Já fez uma simulação de empréstimo?

Assine a Newsletter.

Posts relacionados

Comentários